Sobre: América do Sul, Colômbia

1661413_754185871267286_1369565578_n

Bia, que saudade! Como você está?

Esses dias lembrei das nossas conversas sobre morar fora, intercâmbio e quando você disse que tinha muita vontade de fazer um, mas dinheiro e tempo acabavam sempre sendo um empecilho. Eis que me surgiu uma ideia… você já pensou em fazer Trabalho Voluntário? Essa foi a forma como eu viajei para Colômbia e pra mim foi a maneira mais barata e ao mesmo tempo incrível de morar um pouco fora do Brasil. Vou te contar sobre o processo, quem sabe não te anima!

Existem diversas associações e organizações que você pode procurar para fazer esse tipo de trabalho. Duas que ainda tenho muita curiosidade de fazer (inclusive podemos marcar de ir juntas, o que acha?) são a WWOOF, que são propriedades rurais que trocam trabalho por hospedagem, e a Worldpacker, que faz o meio de campo entre hostels  e viajantes, que também querem trocar umas horas trabalhando por um canto para dormir! Mas a que eu utilizei e queria comentar é a AIESEC. Eles são uma plataforma internacional de estudantes, existente em vários países do mundo. O programa de voluntariado (Cidadão Global) é destinado para quem está cursando uma universidade ou pra quem se formou no máximo há dois anos. Ou seja, dá tempo ainda!

Como começar?

Para viajar pela Aiesec, eu tive que passar por alguns processos. Primeiro entrei em contato com eles através desse site: http://www.aiesec.org.br/. Depois de preencher uma ficha, eles retornaram e marcaram uma entrevista pessoal, para ver se eu tinha o perfil da organização e o nível de inglês necessário. A conversa foi muito tranquila e foi ótima para que eu conhecesse um pouco mais do trabalho deles. Depois de ser aprovada, eu finalmente assinei os papéis, paguei a taxa e aí começou a parte mais legal e empolgante de todas: procurar os voluntariados no sistema! É bom ter algum foco, como um país, região ou tipo de atividade que quer trabalhar, porque facilita na busca. No meu caso eu queria trabalhar com cultura ou idioma em algum país da América Latina e isso me ajudou a selecionar as opções.

89-blog

Foto: Aiesec in Brazil – http://aiesec.blog.br/

Aliás, elas são várias e escolher pode ser um momento difícil, haha! Às vezes pode até demorar um pouco mais do que o esperado, dependendo da época do ano. O importante é olhar o sistema todos os dias e sempre mandar email para os responsáveis daqueles trabalhos que chamarem muito a atenção. A AIESEC do país que você pretender ir também vai marcar uma entrevista, dessa vez por skype, e depois que você for aceita, é só começar a planejar tudo!

Ah e antes de embarcar eles fazem reuniões, sempre mandam emails, te dão o maior suporte, o que dá muito mais confiança pra se jogar na viagem :)!

Obs.: Acho importante te dizer que os países para voluntariado fogem daqueles tradicionais que as pessoas geralmente escolhem quando querem morar fora, o que pra mim tornou tudo ainda mais interessante!! (por exemplo, você pode escolher a Polônia, Russia, Guatemala, Índia, entre incontáveis outros).

Durante o intercâmbio

Geralmente, neste tipo de intercâmbio, o voluntário mora na casa de uma família que se dispõe para hospedá-lo. No meu caso, tive muita sorte. Mas também acho que quem está viajando precisa estar aberto para uma cultura diferente e para lidar com o outro. Se você for aberta, tenho certeza que a experiência vai ser muito melhor aproveitada. A minha família colombiana mantenho contato até hoje e, muitas vezes, penso em voltar pro país só para visitá-los!

1531696_623768601020032_740364462_n

Sendo recebida no aeroporto, quando cheguei em Manizales!

Também tive um acolhimento muito forte dos membros da AIESEC de lá. Uns se tornaram grandes amigos e mantenho contato até hoje. Eles me ajudaram desde o momento que eu cheguei até o dia da minha despedida. É claro que isso muda um pouco de país para país e até de cidade para cidade, mas acredito que no geral são jovens universitários com vontade de deixar o intercambista o mais confortável possível. Quando você for, esteja aberta para sair, conversar e saber mais dessas pessoas que estão ali te ajudando no processo.

1549531_630435797019979_1263032643_n

Viagem no ano novo com outra intercambista da AIESEC!

Ah e o trabalho, gostei muito de dar aulas de português! Pude ver a nossa própria língua de outra forma e também é muito legal ver um estrangeiro super interessado na cultura brasileira e no nosso idioma. Claro que tem muitas outras opções de trabalho, se você não estiver na vibe de classe de aula, mas esse de ensinar eu indico com certeza.

Por fim, a volta

Quando eu voltei da Colômbia, a AIESEC manteve contato comigo por um tempo ainda aqui. As formas de colaborar são muitas. Você pode se tornar um membro se quiser, pode também abrir sua casa para receber um intercambista, escrever sobre sua experiência no blog deles e participar de eventos contando o que você viveu para aqueles que ainda estão pensando em ir.

Eu acho muito importante compartilhar a sua viagem quando voltar. Até mesmo as coisas ruins e como vocês as driblou. Inspirar os outros a viajarem pode ser e é tão gostoso quanto viajar mesmo! E pra você que vai buscar essas informações agora, esses blogs, palestras e até vídeos no youtube ajudam muito! (O http://aiesec.blog.br/ é um legal para começar a busca de países).

1796609_750719908280549_1136964311_n

Uma foto do pôr-do-sol da Colômbia, para te inspirar a conhecer outros ares!

Então é isso. Acho que você poderia considerar essa forma de viagem, porque ela pode ser feita até nas férias do seu trabalho. E você não precisa ir muito longe também. Passar um tempo em um país aqui da América do Sul foi muito enriquecedor pra mim! As culturas que temos por aqui valem muito a pena de serem conhecidas. E da próxima eu conto mais detalhado como foi lá na Colômbia mesmo.

Se precisar de mais informações e quiser saber mais, pode falar comigo!

Beijos,
Herika

Escrito por Hérika

Hérika, 23 anos, formada em Turismo pela ECA/USP. Amante das artes, tem como sua grande paixão o circo, em especial o malabares, mundo que entrou no final de 2012. Passou dois meses na Colômbia ensinando português e seis na Alemanha aprendendo alemão. Aprecia uma roda de samba, uma noite na praia e um bom violão. Atualmente mora em São Paulo, cidade em que nasceu.

3 Comentários

jéssyka

Oi, Hérika. Tudo bem?
Entrei em contato com a AIESEC e marquei minha entrevista.
Estou um pouco nervosa por não saber o perfil que eles procuram. Meu nível de inglês é péssimo, você acha que isso deixa de contribuir em algo? Como funciona a entrevista?
Obrigada.

Responder
Hérika

Olá, Jessyka! Tudo bem e com você? Primeiramente gostaria de pedir desculpas pela demora. Você já realizou a entrevista? Caso ainda não, a minha dica é: fique tranquila :). A AIESEC é sempre bem aberta e receptiva e é muito difícil não aceitarem alguém. Algumas vagas de Trabalho Voluntário você não precisa de um inglês avançado, às vezes básico ou intermediário já ajuda. Então tenho certeza que dará tudo certo! E a entrevista também será bem tranquila, descontraída, mais como uma conversa mesmo. Bom, espero que a resposta não tenha vindo tarde demais e qualquer dúvida estou aqui para ajudá-la ;)! Abraços, Herika

Responder
Gustavo Perez

Olá gostaria de saber quanto tempo demorou até a AIESEC entrar em contato com você??

Obg pela atenção…. Abraços

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *