Sobre: Dicas

Querido mundo,

 

Hoje gostaria de compartilhar algumas visões pessoais sobre viagens. Como alguns sabem eu vivi seis meses em Portugal, quando fui selecionada para um intercâmbio na Universidade de Coimbra. Claro que tive como intenção principal da viagem os estudos, mas também consegui conhecer muitos países do velho mundo.

 

Primeiramente, o que mais me impressionou foi a facilidade de deslocamento e os preços acessíveis das passagens. Existem algumas companhias aéreas conhecidas como low-cost que oferecem passagens por preços inimagináveis. Uma vez consegui uma passagem de Portugal (Faro) para a Noruega (Oslo) por incríveis 3 euros (!). Como sempre tive vontade de conhecer os países nórdicos comprei sem pensar duas vezes e fui parar na terra dos Vikings. No geral os preços são mais altos do que os módicos 3 euros pagos por uma viagem de 4h, mas eles não deixam de ser completamente atrativos.

 

Aliás, a palavra low-cost fará parte do seu vocabulário, se você tem um orçamento apertado. Por diversas vezes eu procurei diferentes formas de chegar a um destino, sempre de maneira mais econômica. No começo me preocupava muito com o valor final da passagem ser menor, não me atentando a fatos como ter de ficar horas esperando no aeroporto, o que implica gastos com comida, que não é barato nesses locais. Mas o que me marcou foram as dormidas no aeroporto. É mais do que comum a passagem aérea mais barata ser aquela que sai às 6h da manhã, o que implica em ter que dormir no aeroporto para conseguir chegar a tempo. O legal é que essa é uma prática bem comum, então você não se sente tão mal (só no dia seguinte, quando chega super cansado ao seu destino). Existe um site bem bacana que mostra detalhes sobre onde é possível dormir em aeroportos e os que fecham de madrugada – muitos aeroportos menores só ficam abertos até certo horário, então a menos que você queira dormir na calçada da rua, é importante verificar… experiência própria! Existe até uma lista dos melhores e piores aeroportos para tirar uma soneca!

DORMIR AERO

 

Outro fator importante sobre essas companhias aéreas são os limites de bagagem exigidos. Como eles cobram para despachar a mala, é comum que as pessoas levem apenas a bagagem de mão, como o mochilão, ou uma mala pequena de rodinhas. No caso da Ryanair este limite é de 10kg com as seguintes dimensões 55 cm x 40 cm x 20 cm, além de uma novidade que, hoje em dia, é possível levar uma mala pequena com as dimensões de 35 x 20 x 20 cm.

 

 

Em 2013, quando eu estava viajando por essas companhias ainda não era permitido levar esta mala pequena, então foram muitas emoções para colocar toda a bagagem e mais a bolsa de mão na mochila.

 

557506_10151101373309547_571990176_n

Só não passem mal como esse moço.

 

Acredito que especialmente por termos vindo de um país de dimensão praticamente continental, a ideia de estar a poucas horas de carro ou trem de um outro país impressiona. No Brasil já é maravilhosa a forma como é possível sentir certas diferenças culturais, quando se muda de região, estado, ou mesmo de cidade. Agora imagine ser possível estar em um lugar onde a poucos quilômetros a história, idioma, hábitos, costumes e comida são diferentes. E o mais importante: com preços acessíveis!

Abaixo deixo alguns links de interesse:

RyanairEasyjetVuelingLista de cias aéreas low-cost ao redor do mundo

 

 

 

Escrito por Thaís

Thaís, 24 anos, formada em turismo pela ECA/USP. Morou 6 meses em Portugal, onde estudou na Universidade de Coimbra e teve a oportunidade de conhecer diversos países e culturas. Paulistana, meio carioca e com raízes mineiras, acredita que a beleza da vida se encontra em coisas simples.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *