Sobre: Lugares

Caro paulistano,

Nossa terra tem garoa, trânsito e muita pizza. Temos Ibirapuera, MASP e Paulista. A nossa noite é uma das melhores, diga-se de passagem. Mas sabe o que as pessoas acham que não temos? Samba! Como pode isso?

Sempre gostei muito de música brasileira e nunca fui fã de ir para a balada ouvir eletrônica com seu “puts-puts” a noite inteira. Negava muitas vezes sair a noite, porque aquele ambiente não era os do que mais me agradavam. Eis que, no ano de 2012, participei de um manifesto carnavalista na cidade de São Paulo e desde então entrei no mundo das rodas de sambas paulistanas, que eu nem imaginava que tinha. Nem preciso dizer que não saí mais da rua né?

Assim, enquanto fico só na saudade e escuto Adoniran Barbosa no computador, gostaria de compartilhar com vocês algumas das tantas rodas de chorinho e samba existentes na cidade.

Começo com o lugar que eu mais frequentava: O Espaço Urucum. A casa, localizada entre as ruas Cardeal Arcoverde e Belmiro Braga, em Pinheiros, toca somente música brasileira e o samba tem seu espaço reservado. Todas as quartas-feiras entre 19h e 22h acontece uma roda de samba, com entrada gratuita para mulheres e cerveja com preço mais em conta. A casa possui um terraço que deixa o clima ainda mais agradável, principalmente nas noites de verão. Só de lembrar já me dá vontade de dançar!

Outra casa de samba bem próxima da anterior é o Ó do borogodó (Rua Horácio Lane, 21). Lá foi um dos primeiros lugares que conheci e frequentava quando descobri essa face sambista de São Paulo. O lugar não é muito grande e, por ser famoso, está sempre cheio, então recomendo chegar cedo. Mas a roda de samba é ótima e não fica uma pessoa parada! A vantagem daqui é que o espaço é dedicado 100% a rodas de samba e chorinho, então de segunda a segunda a música rola solta lá.

20687_970221236324339_9114917804401370824_n

Fachada do Ó do borogodó, em Pinheiros. Fonte: Facebook oficial do Ó

Uma vez por mês tem no Mundo Pensante, na Bela Vista, a edição do Samba no Bixiga. Diferente das outras, esse costuma começar mais tarde, em torno das 22h. O samba é fruto da parceria entre o Projeto Samba de Bamba e o Mundo Pensante. Ouvir um samba no Bixiga é quase que reviver as músicas escritas por Adoniran. Com certeza o bairro carrega uma energia sambista que ajuda a deixar a festa bem mais gostosa.

Também indico o projeto Pelo menos uma vez por mês. Bom, como já bem especificado no próprio nome, a roda de samba acontece uma vez por mês, sempre de domingo, na Rua do Triunfo, no bairro da Luz. Para saber quando será a próxima roda de samba eu fico ligada no Facebook, pois lá que ocorre a divulgação!

O último que gostaria de te contar é o Samba do Sol. Esse projeto acontece todos os domingos e tem entrada gratuita! A roda de samba é sempre muito animada e começa por volta das 18h. O projeto é recente e completará um ano agora em setembro, então é bom ficar de olho que talvez tenha uma programação especial. Antes de vir para a Alemanha, a roda de samba acontecia em um bar na Vila Madalena, mas agora quem está sediando é o Espaço Urucum, que comentei antes.

Ah e por favor, se você souber de algum imperdível que eu não citei, aceito sugestões! Afinal daqui a pouco estou de volta às minhas amadas rodas de samba e visitar novos lugares é sempre bom. Enquanto isso continuo na minha busca aqui em Berlim.

Aguardo notícias da terra da garoa!

Abraços,
Herika

Escrito por Hérika

Hérika, 23 anos, formada em Turismo pela ECA/USP. Amante das artes, tem como sua grande paixão o circo, em especial o malabares, mundo que entrou no final de 2012. Passou dois meses na Colômbia ensinando português e seis na Alemanha aprendendo alemão. Aprecia uma roda de samba, uma noite na praia e um bom violão. Atualmente mora em São Paulo, cidade em que nasceu.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *