Sobre: Inglaterra

Oi, Bruna! Tudo bem?
Antes de tudo, seja bem vinda a Europa!

Te escrevo essa carta pra contar um pouco sobre minha viagem pro meu lugar favorito aqui: Londres! Já que você está em Dublin, tenho certeza que não vai demorar muito até você dar um pulinho lá.

Quando eu cheguei na Inglaterra, fiquei um tempo tentando escrever um texto. Eu poderia divagar sobre mil coisas, mas a única que conseguia pensar era “eu estou aqui, eu realmente estou aqui”.

Não sei se existe um lugar no mundo que você deseja muito conhecer. Se a resposta foi positiva, certamente você sabe do que eu estou falando! Pisar em Londres foi tipo uma magia. Desde pequena eu leio livros, ouço histórias, me imagino rodando e abraçando Londres. De Charles Dickens a JK Rowling, os pontos cartões postais da cidade sempre me chamaram a atenção.

Quando eu lia Arthur Conan Doyle e imaginava Sherlock Holmes fazendo suas descobertas e desvendando os mais variados mistérios, ou quando eu imaginava Harry Potter atravessando a pilastra na estação King’s Cross, ou até quando ouvia Beatles e via a capa do disco Abbey Road. Todos esses pequenos clichês me fizeram cair de amores por uma cidade que estava a milhares de quilômetros de mim e que eu nem sabia se um dia iria conhecer.

Mas eis que o tão grande dia chegou! Mais do que caminhar e me apaixonar pelos atrativos de Londres, o que mais gostei da minha viagem foi descobrir lugares que eu nem tinha ouvido falar antes (isso não significa necessariamente que eles não sejam conhecidos, claro). Vamos aos dois que mais me atraíram.

Primeiro de todos preciso falar de Camden Town. É uma área de Londres, perto do Regent’s Park, famosa por ter uma feira alternativa que você pode encontrar objetos e roupas bem particulares e também barracas com comidas de vários países. Sempre viajo com pouco dinheiro, então meu controle é ao máximo, e foi lá que eu encontrei os melhores preços para lembranças. Obviamente que têm lojas que vão cobrar mais caro, mas pesquisando e andando um pouquinho você vai achar algo em conta, certeza! Por exemplo, lá comprei meu caderno de viagens, onde escrevo todas as minhas sensações pelos lugares que passo, por 2 libras com caneta, haha! Bom, não?

Candem Town

Candem Town

O lugar é bem agradável, alternativo e jovem. Não tive a oportunidade de visitar pela noite, mas creio que há alguns bares. Uma curiosidade: Amy Winehouse gostava de tocar por lá! Tem até uma estátua dela em uma das ruas.  No bairro também há um pequeno canal, onde as pessoas ficam sentadas comendo, conversando, passando o tempo. Recomendo deixar uma manhã ou tarde livre para o local, vale a pena!

20150711_143504

Estátua da Amy Winehouse, em uma das ruas de Camden Town.

O segundo lugar que gostei foi o Convent Garden e o Soho. Os dois ficam proximos um do outro e eu diria que é uma área bem boemia. Em ambos voce vai encontrar pubs, mas eles ficam mais concentrados no Soho. No Convent Garden há muitos teatros! Tenta ir em algum, me arrependo um pouco de não ter parado para assistir uma peça londrina (já está na minha lista do que fazer quando eu voltar!). Gostei muito de andar pela rua dos dois lugares. Às vezes nem parecia que eu estava em Londres. A arquitetura e estilo das casas e bares davam um ar muito agradável pro local. Aproveita aqui para ir em um pub e pedir uma cerveja ou uma cidra! Custam em torno de 5 libras, mas é uma experiência indispensável. E olha a magia de Londres agindo: enquanto estava em Convent Garden, tinha um caminhão do Ben & Jerry’s dando sorvetes de graça!! Fique atenta, vai que você não dá essa sorte tambem! haha.

Enfim, caminhar e me perder pelas ruas desses bairros me fizeram conhecer uma parte de Londres que não havia visto ainda nos livros. Me fizeram ver os londrinos, que estavam sempre sérios e correndo no metro, também sorridentes, tomando uma cidra ou uma cerveja. Conheci mais a fundo aquela cidade que Charles Dickens descrevia. Em outra época e bem diferente, é verdade, mas com a mesma a magia dos livros que li.

E sim, na sua primeira vez em Londres você tem que ir na Tower Bridge, Big Ben e London Eye, tanto de dia como a noite (ele ficam ainda mais bonitos a noite, acredite). Os três ficam na beira do rio Tâmisa e são maravilhosos. A Tower Bridge em especial fica magnifica com as luzes sobre ela durante a noite! Foi o primeiro lugar que visitei e minha primeira impressão da cidade. Uma dica preciosa: debaixo da ponte tem Wifi aberto e bom. E se você curte ir em museus, aproveita que aqui é o lugar. Eles são vários, gigantes, com exposições ótimas e, se prepara: gratuitos! Os que fui e recomendo: National Galery, British Museum, Natural History Museum e Science Museum (os dois últimos ficam um do lado do outro, na estação South Kensington).

20150710_164822

Tower Bridge, meu atrativo favorito do rio Tâmisa!

Algumas outras dicas do que você pode fazer na cidade:
– Vá jogar ping pong na Praça Victoria! De graça, a raquete e a bolinha estão lá (pelo menos estavam quando eu fui);

– Balada Heaven: é gratuita pra entrar, algo não tão comum em Londres, e com uma música muito boa e variada. Vale a pena, acho que você vai gostar.

– Borough Market da London Bridge: para comer. Os valores são um pouco altos, mas achei legal de ir, diferente caso esteja sobrando uma graninha.

– Compre comida no supermercado, se estiver com pouco dinheiro! Eles vendem sanduiches e saladas muito boas e baratas, o que ajuda muito no orçamento da viagem.

– Beba Cidra! Eles tomam bastante e é bem gostosa. Só cuidado que não se pode beber na rua, então prefira entrar em um bar ou comprar no supermercado e beber dentro de onde estiver hospedada.

20150709_114803

E claro, não pode faltar a foto clássica com o Big Ben!

Espero ter te inspirado pra visitar a capital inglesa! E me conta mais sobre a Irlanda, estou curiosa sobre aí. Quem sabe não consigo te visitar até novembro?

Beijos,

Herika

Escrito por Hérika

Hérika, 23 anos, formada em Turismo pela ECA/USP. Amante das artes, tem como sua grande paixão o circo, em especial o malabares, mundo que entrou no final de 2012. Passou dois meses na Colômbia ensinando português e seis na Alemanha aprendendo alemão. Aprecia uma roda de samba, uma noite na praia e um bom violão. Atualmente mora em São Paulo, cidade em que nasceu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *